quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Escrevo assim




Escrevo assim, devagarinho, simples...
Quem sabe para sempre...
Porém se meus versos ficarem esquecidos,
engavetados, perdidos...
... falaram o que meu coração no momento sente.

Escrevo assim, 
As vezes sem rimas.
Ou rimas repetidas,
muitas vezes nelas insistidas.
Mas, escrevo sempre o que minh'alma sente;
Ah! Até quando mente.

Escrevo assim,
fora de regras...
Quando penso ter feito um haikai,
me concentrei tanto na métrica,
e me distraí em rimas desnecessárias;
Fica sem classificação.

Escrevo assim,
do jeito que quero.
Sem tanto esmero.
Escrevo o amor que sinto.
A dor, o que pressinto.
Escrevo o que queria ocultar.
Escrevo a saudade que dá.
E o que não queria nem comentar.

Escrevo como se estivesse te falando.
Porque se não fosse assim,
talvez não me compreenderia.
Ficaria vago, na busca do nexo.

Escrevo sentimentos,
Sentimentos meus;
Em momentos de empatia os teus.
E assim, vou escrevendo emoções;
E marcas da memória.
Escrevendo assim, nossa história.

6 comentários:

  1. ...e escreve deliciosamente bem, escreve sentires, gostei muito.

    bjs
    oa.s

    ResponderExcluir
  2. Saudades minha flor!
    Por onde andas?
    te quero mais perto de mim,kkkkkkkkk
    Poema lindo e cheio de vida...
    bjssssssssssssss

    ResponderExcluir
  3. Seus versos nunca ficarão esquecidos.Beijos

    ResponderExcluir
  4. Você só escreve emoções.
    A sua caneta parece deslizar leve livre e solta.
    Um encanto

    bjs

    ResponderExcluir
  5. É assim que escrevo


    o toque fugidio de suas mãos
    marcou minha presença
    naquele lugar
    por que não ficas
    e marque para sempre
    minha existência
    inexistente
    (e)
    quando voltei a mim
    a panela estava ensaboada
    dentro da pia...

    Beijos

    ResponderExcluir