sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

FELIZ ANO NOVO

F estejando eu vou 2012 entrar!
E spelhar o que há de bom, encantar!
L evantar novos projetos: Lutar!
I niciar nova trajetória...
Z erar desafetos e só amar!

A h! Amar, amar amar...
N o despertar do sol: cantar!
O sucesso, se Deus quiser irá assinar.

N avegar por águas mansas...
O céu poderá até nublar
V erão dentro d'alma, o sol a brilhar
O sol que sempre brilha ao recomeçar!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Canto a Jesus


Canta a minh'alma
Nasce Jesus
Me deu vida nova
Aos altos céus me conduz!

Canta a minh'alma
Jesus nasceu!
A morte venceu
Seu legado prevaleceu.

Canta a minh'alma
Canta a Jesus
Canta o seu amor
Que sempre reluz!

"Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz".
Isaias 9 :6

ROMANOS 11. 36 “Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a
ele eternamente. Amém"


quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Natal




Natal

Nasce Jesus
A nossa luz
Traz salvação
Ao amor conduz
Luz  da esperança...
                   ...é o meu Jesus!


Feliz Natal!

Feliz Natal
Queridos leitores, vocês que trouxeram a este cantinho, a alegria de sua presença... trazendo-me um incentivo a escrever.
Desejo que todos nós tenhamos um Natal iluminado, com a luz do nosso Senhor Jesus, que a cada dia Ele nos conduza ao amor, à paz, à esperança, à renovação,  dando-nos saúde e bons motivos para comemorar todos os dias!






quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

DEZEMBRO


D ias melhores virão
E ' o que pensa o coração
Z elar o novo ano que já desponta
E m cumprimento dos sonhos
M uitos projetos da gaveta sairão
B uscando sua realização
R umo a decisão de praticar...
O amor, a dieta, o sonho, renovação!

É, quando pensamos em fim de ano, logo vem aquele desejo enorme de zerar com tudo que ficou pendente, e RECOMEÇAR!
Sim, recomeçar! Porque logo vem janeiro, junto com novos projetos, e claro! Como não lembrar daquela dieta... que sempre ficou pra segunda-feira.
E agora?
Faço em dezembro?
Deixo pra janeiro?
Se fosse somente a dieta, mas, quantos projetos ficaram engavetados, lembrando-se deles, porém, sem forças para tirá-los da gaveta.

E que este dezembro, nós possamos reorganizar as idéias, curtir as festas (com moderação), a família, os amigos, o amor, sem esquecer de que tem muita coisa ainda por realizar.
E assim, entrar janeiro com vigor renovado, deixando os lamentos para trás e buscando no íntimo a força para recomeçar e realizar!
Recomeçar porque o tempo não para.
Recomeçar porque a alma pede renovação.
Recomeçar porque todo dia nasce o sol!
Recomeçar porque há um Deus no controle de tudo.
Ele só nos quer ver motivados a viver!
Viver com entusiasmo!
A amar, a doar, a respeitar, a dar mais um abraço.
Sim, mais um abraço!
Talvez é só isso que o outro quer de nós!
Então... dezembro com muitos abraços a todos...
e, novas idéias para as realizações em 2012!!!

sábado, 26 de novembro de 2011

E o penhor da igualdade?

Minha Pátria Brasil, um verdadeiro show!
Campos, agropecuária, matas, pedras, minerais, praias, cachoeiras e gente!
Gente de todas as nações!
Tem africano, português, italiano, inglês, alemão, indiano... é um país de grande coração.
Coração sempre aberto... vem!
Aqui tem lugar.
Tem mais, o show é extenso, festas, samba e pandeiro.
Porta bandeira, pierrô, colombinas e bandoleiro.
Claro! O carnaval é brasileiro!
Tem folclore!
Poetas,
Cristão,
Ladrão.
Ladrão?
Como não, Minha Pátria é um show!
Mas que pena, um show também em corrupção.
Vivem fazendo investigação:
Falam em solução.
No entanto, fecham olhos aos erros.
Não querem enxergar o ladrão.
Rouba-se cidadão,
rouba-se o povão.
E da criança?
Rouba-se também a merenda.
Querem aumentar suas rendas.
Tapam os olhos com rendas
e não vêem.
Brasil vira piada,
conversa de botequim.
Salário do trabalhador não dá pra nada.
E os governantes aumentam seus milhões.
O futuro da criança é utopia ou vai ficar só na esperança??
Diariamente o noticiário nos afligem com a desigualdade social:
A má distribuição das rendas;
A corrupção explícita e sem controle.
Jovens sem direção.
Sem exemplo do que é ser um bom cidadão.
A saúde precária clama o salvador.
De onde virá o salvador?
O Guerreiro!
Será o operário?
O doutor?
o Pedreiro?
O trabalhador há tempo sente-se explorado, 
porém,
ainda em tons fortes, 
traz no peito as cores da bandeira.
Ainda ama a Pátria à sua maneira.
Afinal é brasileiro!
Talvez isso venha da eterna esperança.
De que, este país de encantos mil,
encontre o caminho da igualdade,
juntamente com a liberdade.
E assim, cantar num só coro...

E o penhor (garantia) dessa igualdade
Conseguimos conquistar com braço forte,
Em teu seio, ó liberdade,
Desafia o nosso peito a própria morte!

Ó pátria amada, idolatrada, Salve! Salve!

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Falar... ditados



"Falar é prata, calar é ouro!"
Exprimir o que pensamos num diálogo as vezes é bom e esclarecedor, no entanto, há momentos que o melhor é calar.
O silêncio, em certos momentos, falam mais que mil palavras.
Há outros ditados que dizem que a pessoa quieta traz sinais de grande inteligência.
E assim, chega-se a conclusão que, pessoa sábia, é aquela que conhece perfeitamente o momento exato para expor suas idéias, conceitos, opiniões. E quando não é hora de falar, sabem sabiamente calar.
Dizem também: "Quem fala demais, dá bom dia a cavalo." - Fala-se o que não deve, fala às pessoas erradas, que não deveriam ouvir. E passam a ser conhecidas como tolas, insensatas, sem trava na língua.
Eu já me vi em várias situações parecidas... como sábia, como tola... aprendi, não sei, talvez por muitas vezes vou falar na hora errada de novo, à pessoas erradas... talvez... aprendendo olhando atrás, vou usar de sabedoria e ficar no silêncio...
Mesmo que seja difícil, assim como é para mim, que tal? Vamos fazer um minuto de silêncio?!





Eu


Como sou? ahah
Falar sobre mim eu não vejo dificuldade, quando começo, tagarelo sem cessar. No entanto, para escrever fico confusa, tropeço nas palavras e tanta coisa a dizer parece quase nada, de pouco interesse.
Mesmo assim, vou tentar... sou alegre, espontânea, às vezes retraída... amo a natureza, a vida, as paixões, entre as paixões estão a música, a poesia, romances...
Muitas vezes sonhadora, fujo à realidade, me perco nas nuvens coloridas da minha imaginação.
Sou também uma pessoa difícil, um pouco autoritária, radical, não gosto de voltar atrás a uma decisão. E assim, acabo sofrendo.
Muito impulsiva, precipitada, atrapalhada,  mas, muito sincera, um dos motivos ao qual sempre me decepciono.
Confio demais nos outros, acredito que todo homem tem em si algo de bom, com mais qualidades que defeitos, que basta sabermos conhecê-los. O problema, é que não sabem disso.
Deus! Minha Rocha, minha Fortaleza, no entanto vivo em falta com Ele, mas sei o quanto é forte e vive dentro de mim.
Sei lá, acho que sou um ser humano, como tantos, vivendo neste mundo, em busca de respostas para entender melhor o "Eu".

sábado, 12 de novembro de 2011

Flerte


Enquanto o músico dedilha a canção no violão.
Olhar em flexa atinge meu coração.
A música invade em magia,
dilacera o peito 
e mais brilha o olhar.
No balanço da poesia cantada em versos
e ritmada de alegria.
Olhas insistentemente.
Eu presa em teu olhar,
a letra da canção me faz sorrir.
E o que ela diz?
Ah! Palavras...
...palavras escritas em giz.
Que dizem o que sempre quiz.
Eu já no balanço da canção,
fico imaginando nós dois,
viajando no depois...
E  quase me perco neste olhar.
Deixo um sorriso no ar 
e disfarço feliz!

Suspira e Chora

No jardim toda manhã,
vem faceiro o beija-flor.
Beijando de flor em flor.
O beija-flor sorrateiro,
chega todo faceiro,
beija a flor e vai.
Volta, beija novamente a flor
e baila no olhar.

Sai num vôo alucinado,
beijando a cada flor.
Danado!
Não quer ficar,
só se aventurar.
Entre todas as flores,
há uma tão bela,
que chora, chora.
Em meio aos soluços implora.
-Volta beija-flor, vem me amar.
Ele vem, mais um beijo dá
e vai embora.
E não há quem a consola.
A toda hora,
a bela flor, suspira e chora.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Amor, amor


Não tem hora marcada, nada nele é determinado.
Não se inventa, nem se cria.
Simplesmente acontece.
Forte e apaziguante.
Não escolhe sexo, raça, idade ou estado civil.
É livre... ah! o amor é livre para amar!
Quando acontece dentro dos parâmetros normais,
preenhe  toda uma vida.
Dá sentido à ela, torna-se a razão a toda sua existência!
Já quando foge à realidade, quando foge ao "convencional".
Ah! é fonte de grandes inspirações.
O inspirador das grandes ações.
E é também o combustível que ora vence os obstáculos,
e, também muitas vezes fator principal às grandes realizações.
Voltando ao encontro perfeito,
ao amor que vence aos obstáculos, que faz-se igual, 
faz-se necessário...
A força com que une, compensa perdas.
E surge a criação de novos planos... a dois.
É uma sublime forma de afeto,  carinho, onde o indivíduo que ama,
compreende que o amor é respeitar, repartir, doar, aceitar... entregar.
Traz junto de si, a essência das coisas simples,
e a certeza de que vive pela primeira vez.
E que a vida é feita para amar, amar como nunca!
Sempre com emoções diferentes.
Eis aí um sentimento de bem querer intenso, com a intenção voltada à outra pessoa.
Vivido de várias formas, com intensidades variadas entre:
início-afeto, superação-obstáculos até chegar ao pleno-AMOR!

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Só solidão

Eu hoje não acordei poetisa,
e o mundo me pareceu cinza.
Eu não senti o cheiro das plantas,
nem me alegrei com o orvalho a brilhar na grama.
Não houve ao menos um sorriso meu ao avistar o sol.
Eu senti só solidão.
Então deu vontade de voltar para a cama,
e... dormir, dormir, dormir...
Em meio ao vazio de sentimento,
nada a inspirar no momento,
não voltei pra cama.
saí sem rumo, em qualquer direção...
sem rimas, sem versos, sem sonhos, sem tom,
sem paixão.
Só solidão.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

FINADOS




F ica o peito já em chama
I nflama as lembranças
N o fundo a alma clama
A presença daqueles que o coração ainda ama
D os queridos que um dia se foram (Roney, Mãe, Zana!) Hoje,
O coração hoje só saudades reclama
S audades, saudades, em lágrimas derrama!

domingo, 30 de outubro de 2011

Recordando Roney e suas histórias...


Essa história é "real", real na imaginação de duas crianças, de 8 e 10 anos, e por tantas vezes contei, como boas lembranças em momentos de descontração. Lembrança dos meus oito anos... e de você Roney, que trago no peito grande saudades, faleceu aos doze anos. Irmão querido, aventureiro, esperto, malandrinho, cheio de vida e sonhos. Ah quanta saudades!
Roney era feito de imaginação fértil que contagiava, me encantava e me enrolava, suas histórias sempre me faziam viajar... eram fabulosas, encantadoras...
Morávamos no Maringá-Velho e, mudamos para a Morangueirinha, uma outra vila em Maringá, o Roney veio com essa:
-Lene, descobri um jeito de irmos no Maringá-Velho, sem precisar de circular, carro, ou mesmo ter que ir a pé!
Eu curiosa:
-Mesmo?! Como?
O Roney começa...
-Eu e o Nicanorzinho, estávamos andando no pomar, na fazenda Maringa, e eu chutava as folhas caídas no chão. Meu pé enroscou numa argola, eu abaixei, afastei as folhas e perguntei. Nicanorzinho, o que é isso?
O Nicanorzinho disse:
-Não é nada não, são coisas do meu avô. Deixe quieto.
Humm, eu marquei bem o lugar, enterrei novamente a argola entre as folhas e pensei, volto aqui mais tarde.
O Nicanorzinho foi para a escola, eu voltei ao pomar, cheguei no mesmo lugar, tirei as folhas e novamente avistei a argola. Puxei, e abriu uma tampa que dava para um túnel. Entrei, era um túnel bonito, e eu vi logo a frente, uma porta com vários botões ao lado. Apertei alguns botões e a porta se abriu. Entrei e logo vi outra porta, e lá os botões ao lado, repeti a operação anterior e a porta se abriu também.
Entrei e encontrei um carrinho, legal, você precisa ver, lindo, a gente pode mudar de cor, se você quiser. Neste carrinho, cabe duas pessoas, sentei e vi que tinha nele também muitos botões. Conforme eu apertava, o carrinho andava e portas se abriam à frente e se fechavam atrás de mim.
De repente, uma porta se abriu e eu voei fora do carrinho e fui cair no Maringá-Velho.
-Nossa! Roney, que legal! Me leva lá agora, quero ver, quero ir também no Maringá-Velho.
-Vou te levar sim, mas só domingo, domingo de manhã o pomar está mais tranquilo, vamos sem ninguém notar.
- E pra voltar? Como fazemos?
- Não se preocupe, eu sei o lugar certinho pra encontrar o túnel na volta.
- Posso chamar a Ivete (minha amiguinha)?
- Não Lene, o carrinho  é só pra dois, com o tempo eu vou ampliar, por enquanto é só nós dois e, não conte pra ninguém tá?
- Ah! Ta bom.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

O susto


Meia noite, cansada e com sono, eu vinha caminhando pela rua já deserta, quando, de repente, ouvi umas pisadinhas leves atrás de mim. Senti um frio no estômago, a pele começou a suar frio, mesmo com o sangue fervendo, desejei olhar pra trás, mas faltou-me a coragem.
Pensei... E se eu correr? Senti medo de meus pensamentos, como se já não fossem mais secretos e qualquer um pudesse ouvi-los. Tentei calar até em pensamentos, controlando minha respiração. Mas o som de minha respiração era forte, ensurdecedor.
Sem coragem de correr, pensar, medo de respirar, queria seguir em frente sem temer.
O som das pisadinhas leves atrás de mim era real, isso eu não podia negar, porém pareciam-me fortes e eram amedrontadoras. E minha respiração, com barulho audível, se misturava com as pisadelas deixando-me em verdadeiro pânico.
Comecei a caminhar mais rápido e meus passos eram choque no chão que davam um som agudo. As pisadinhas, do mesmo jeito: leves atrás de mim.
Ai meu Deus! Clamei, dai-me coragem!
Olhei neste momento o céu, ao avistar a lua, senti que dava um sinal de proteção.
A coragem brotou leve, tímida em mim.
Olhei para trás e aliviada, percebi ser meu vizinho que caminhava tranquilamente também em direção a sua casa.
Acenou com a mão e disse:
Boa noite menina!

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Meu amigo


Meu Amigo
Hoje pensando em você...
Eu desejei só ter o amigo ao meu lado.
Pra falar das mesmas coisas,
dividir os nossos planos...
como se tudo fosse um.
E numa massa homogênea,
assim que pronta,
a satisfação fosse a mesma...
Recíproca!
Hoje eu desejei,
bem no fundo do meu coração.
O meu amigo para ouvir, ouvir, ouvir...
como canção
Mas, que eu pudesse também...
falar... falar... falar...
União!
E nessa conversa,
se só risos viessem...
Como seria bom!
Mas se lágrimas não pudéssemos conter,
sempre pronto o ombro amigo
fosse esse, o travesseiro mais querido...
Abrigo !

Vida Passageira?


Alguém disse: "Essa vida é  passageira!"
Penso: Passageiros somos nós.
E você o que me diz?

Canto o nosso amor


Ah seu moço!
Em um certo momento
Não sei como nem sei onde.
Só sei que meu olhar se cruzou com o teu perdidamente.
Em nosso olhar, um brilho transparente...
Sorri!

Ah seu moço!
Em meu coração fez-se alvoroço.
E eu desejei um só carinho teu.
Nem pensei que neste breve olhar
Você acorrentaria para sempre minh'alma...
Neste eterno amar...
...agitantando a minha calma.

Fez-se amor sublime;
Fez-se encanto e poesia;
Hoje eu canto nosso amor em calmaria.

Fez-se vagalume
A brilhar em noite escura
E eu cigarra em contínuo canto
Cantando tua alma pura!

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Escrevo assim




Escrevo assim, devagarinho, simples...
Quem sabe para sempre...
Porém se meus versos ficarem esquecidos,
engavetados, perdidos...
... falaram o que meu coração no momento sente.

Escrevo assim, 
As vezes sem rimas.
Ou rimas repetidas,
muitas vezes nelas insistidas.
Mas, escrevo sempre o que minh'alma sente;
Ah! Até quando mente.

Escrevo assim,
fora de regras...
Quando penso ter feito um haikai,
me concentrei tanto na métrica,
e me distraí em rimas desnecessárias;
Fica sem classificação.

Escrevo assim,
do jeito que quero.
Sem tanto esmero.
Escrevo o amor que sinto.
A dor, o que pressinto.
Escrevo o que queria ocultar.
Escrevo a saudade que dá.
E o que não queria nem comentar.

Escrevo como se estivesse te falando.
Porque se não fosse assim,
talvez não me compreenderia.
Ficaria vago, na busca do nexo.

Escrevo sentimentos,
Sentimentos meus;
Em momentos de empatia os teus.
E assim, vou escrevendo emoções;
E marcas da memória.
Escrevendo assim, nossa história.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Sonhos meus - Soneto


És o motivo do meu deitar.
Buscar meu sono, logo sonhar...
Sonhos que sempre você vai estar
É em meus sonhos que eu posso te amar.

És a razão que me faz acordar feliz!
Efeitos da noite que me fizestes passar.
Realizando em sonhos o que sempre quis.
Sonho teus beijos, teus carinhos, sonho amar... amar...

Tão distante, porém, em minhas noites tão presente!
Não tens consciência, mas o meu amor te traz.
E permanece até a alvorada despontar.

Em êxtase, fico eu a cantarolar em paz
Canto o amor, canto as fantasias... emoções somente.
Ah ansiosa espero a noite voltar...

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

LEONARDO - 13 anos

L ibertando-se meu garoto
E o meu bebê cresce... vejo-o homenzinho se tornar
O corpo tomando formas viris
N a face mistura-se o menino e o homem
A h! E o que está por vir?
R eflito, como orientá-lo agora?!
D itar regras, abrir mão da autoridade?...
O menino deixar tomar sua maturidade.

           Lindo 13 anos... isso é mais uma vitória
           Eu não tenho como esconder minha alegria!
           O meu AMOR por você é infinito...

                          PARABÉNS MEU AMOR... QUE TUA VIDA SEJA UM ETERNO SORRIR!

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Qual o real sentido da vida?

Qual o real sentido da vida?

Eis  tua pergunta: Qual o real sentido da vida?
Sei que é uma pergunta que se repete nos corações dos homens, que milhares de estudiosos, filósofos e questionadores vem buscando ao londo do tempo...
Eu poderia como tantos, filosofar sobre o tema de diversas maneiras. E encontrar entre tantas, boas razões para decifrar ou sossegar o meu ou o teu coração. E mesmo assim, ainda ficar uma incógnita para você.
Diante da criação do mundo e do homem, sei que:
Depois de Deus criar os céus e a terra, e tudo o que nela há, após alegrar-se com Sua criação, sentiu Deus que este quadro deveria completar, quem pudesse desfrutar de todas essas maravilhas.
Então Deus criou o homem à Sua imagem e semelhança, e mais uma vez se alegrou com o que fez!
Deus criou o homem para que tenha vida, vida em abundância!
Deus criou o homem para Sua adoração!
E a partir daí, colocou no coração do homem a eternidade, como promessa de gozo e bençãos.
Entre tantos cuidados, Deus deu livre arbítrio para que o mesmo homem, tivesse direito à escolhas.
E pela fé que há em meu coração, o real sentido da vida está em adorar a Deus com sinceridade de coração, e caminhar rumo à eternidade. Exercitando a fé, a esperança, o cuidado com a criação de Deus, o amor e a perseverança para vencer aqui as adversidades da vida e encontrar paz neste mundo, paz que nem sempre vem das circunstâncias.
Paz que só há em nosso Senhor Jesus Cristo.
Paz que este mundo não dá, até que nos venha a eternidade como cumprimento de Suas Promessas, e assim viver com Deus!
Agora deixo aqui a mesma pergunta:
Qual o real sentido da vida?