sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Qual o real sentido da vida?

Qual o real sentido da vida?

Eis  tua pergunta: Qual o real sentido da vida?
Sei que é uma pergunta que se repete nos corações dos homens, que milhares de estudiosos, filósofos e questionadores vem buscando ao londo do tempo...
Eu poderia como tantos, filosofar sobre o tema de diversas maneiras. E encontrar entre tantas, boas razões para decifrar ou sossegar o meu ou o teu coração. E mesmo assim, ainda ficar uma incógnita para você.
Diante da criação do mundo e do homem, sei que:
Depois de Deus criar os céus e a terra, e tudo o que nela há, após alegrar-se com Sua criação, sentiu Deus que este quadro deveria completar, quem pudesse desfrutar de todas essas maravilhas.
Então Deus criou o homem à Sua imagem e semelhança, e mais uma vez se alegrou com o que fez!
Deus criou o homem para que tenha vida, vida em abundância!
Deus criou o homem para Sua adoração!
E a partir daí, colocou no coração do homem a eternidade, como promessa de gozo e bençãos.
Entre tantos cuidados, Deus deu livre arbítrio para que o mesmo homem, tivesse direito à escolhas.
E pela fé que há em meu coração, o real sentido da vida está em adorar a Deus com sinceridade de coração, e caminhar rumo à eternidade. Exercitando a fé, a esperança, o cuidado com a criação de Deus, o amor e a perseverança para vencer aqui as adversidades da vida e encontrar paz neste mundo, paz que nem sempre vem das circunstâncias.
Paz que só há em nosso Senhor Jesus Cristo.
Paz que este mundo não dá, até que nos venha a eternidade como cumprimento de Suas Promessas, e assim viver com Deus!
Agora deixo aqui a mesma pergunta:
Qual o real sentido da vida?



quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Vira latas - Sonetos



















Lá vai o vira latas...


Seguindo, sem rumo e sem destino.
Tropeçando, caindo, não para.
Um vira latas sem dono
Solto no abandono.

Não para, vai seguindo...
Revira latas, come sobras, sem porto seguro.
Não pensa em nada.
E assim que cumpre sua jornada.

Nas esquinas para, pensa,
Não sabe se vira, se segue, se fica.
É duvida? Então não para, segue...

E quando ao sol causticante,
Uma sombra depara
Nela para, descansa e se acalanta.


                                             e... eu  Feito Vira latas


                                                                        
                                          Vou seguindo, sem rumo e sem destino...
                                          Tropeçando, caindo, mas não paro.
                                          Saio feito vira latas sem dono
                                          Solto no abandono...

                                          Não paro, vou seguindo...
                                          Longa estrada, sem porto seguro.
                                          Saio em desatino sem pensar em nada.
                                          Talvez eu cumpra assim minha jornada.

                                          Nas "esquinas", paro, penso.
                                          Se viro, se sigo, se fico.
                                          É duvida? não paro, eu sigo.

                                          E quando ao "sol" causticante.
                                          Uma "sombra" eu deparo.
                                          Nela paro, descanso, meu acalanto.

                                                                              

Vou navegar - Hakai

Vou navegar
No azul deste olhar
Sem remo a nau.
                                                      
                      

Lua nova

Oh Lua nova!
Toda leve e formosa.
Fica longo tempo em meu olhar.

Oh Lua nova!
Tão leve e tão doce,
Sinto vontade de pegar.

Oh Lua nova
Vou mergulhar no teu olhar.
Me embriagar de luar.

Oh Lua nova!
Desperta a calma...
Até a manhã chegar!
                                                                            

Convite a amar -Haikais



A noite vem
Vem amor, vem amar
Fico a esperar!

Já tem estrelas
no céu a despertar.
Vem amor, vem amar!

Luar platino 
Azul e prata no mar
Show a encantar!

Luar só luar.
Enche meu olhar.
Vem amor, vem amar!


segunda-feira, 26 de setembro de 2011

O riso após o choro
















Hoje eu chorei todo meu pranto contido
Desejei ter um acalanto, um abrigo
Encontrar paz em qualquer canto, um amigo.

Hoje eu chorei meus amores perdidos
Senti a dor do meu coração partido
Chorei meus sonhos um dia esquecidos.

Hoje eu chorei a minha dor somente
Lavei minh'alma com tanto choro presente
Lágrimas antes contidas, desceram loucamente;

Hoje eu chorei por todo "NÃO"
que soou como um TROVÃO!
Chorei em meio a canção
Desejei abrir o chão.

Hoje eu chorei tua partida
Só Hoje percebi que junto levou minha vida.
Só hoje chorei não haver despedida.

Hoje depois de tanto chorar
A alma ainda a soluçar
Senti a esperança brotar.

Amanhã o sol irá brilhar e eu voltar a sorrir.
Eu vou encontrar a esperança
Como nos tempos da menina ainda criança
Cabelos em trança, menina que canta e dança.

Antes da manhã vir
Uma luz brilhou pra mim
Luz da Palavra JESUS me fez sorrir!














domingo, 25 de setembro de 2011

OUÇA!!!




Ei, onde está o amor?
O respeito?
A amizade então?
Pare!
Ouça-me um pouquinho.
Ouça a minha explicação.
Não adianta gritar,
eu falo e você a gritar,
quer forçar o meu calar.
E agora, eu fico neste túnel
ecoando os gritos teu.
Pare!
Eu preciso que me ouça,
acalme-se neste momento.
Ouça o que eu digo,
talvez compreenderá minha razão.
Ouça o meu coração,
acelera, acelera, acelera.
Já contei até dez, 
até quanto vou precisar contar pra você me ouvir?
Eu tentando ter paciência.
Pare!
Não dá, eu vou fugir deste lugar.
Talvez um dia você desejará me ouvir.
Talvez até perdão irá pedir.
Não sei se serei tão nobre assim.
Talvez não terei tempo mais pra ti.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Meu verbo é: poetar você




Já poetei teu beijo
Vou poetar teu sorriso
Poetando cada lampejo
Que me leva ao teu paraíso!

         E poetando vou
         Poetando você todo dia
         Teu olhar me faz poetar
         Tua presença poetando minha alegria!

                   Não há poesia sem você
                   Não há você sem poesia
                   Inspiração, rimas que se lê
                   Implode em meu peito e explode magia!

                             Quando diz que me ama
                             Meu coração poeta feliz
                             Poeta um amor em chama
                             Poeta o que sempre quiz!

                                        Na tua partida esta poetisa chora
                                        Quer tua volta poetar
                                        E na poesia implora
                                        Vem amor minha poesia completar!
         
                                                                               

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Em Lua Cheia - Haikais




Em lua cheia
Minha alma anseia
Amor presente.

Em lua cheia
Em meus sonhos permeia
Desejos quentes.

Em lua cheia
Fantasias passeia
Por minha mente.

Em lua cheia
Envolvente abraço
Amor caliente.

Em lua cheia
Pulsa em minha veias
Amor somente.

Em lua cheia
Te prendo numa teia
Bem inocente.

Em lua cheia
A luz sempre clareia
Alma da gente. 
 

Primavera


Primavera multicores
Perfume das flores
Vida acelera,
Em belas cores!

Campos floridos
Árvores em flor
Tudo colorido
É a estação do amor!

Brotam novos planos
Esperança desabrochando em flor
É a estação do ano
Que expressa em cores o amor!

É maravilhoso viver
Na estação da flor
Ver nela as mãos do nosso Senhor
A colorir a vida com seu imenso amor!

 

Aquarela


Aquarela

Vou pintar tua alegria
“Aquarelar” tua magia
Multicolorir teu sorriso todo dia.

Vou pintar tua chegada
Nos tons que não desbota
Vou colorir o amor que brota.

Vou pintar o som da tua voz
Pincelar em todo canto
Em alto tom, meu doce encanto.

Vou pintar teu abraço em verdes campinas
Teu suor em gotas cristalinas
Brotando sempre em minha mina.

Vou pintar o sabor dos beijos teus
No carmim dos lábios meus
Derramar tinta até me lambuzar.

Vou pintar nossa paixão numa esfera
Meu peito que dilacera
Assinando aqui esta aquarela.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Ah um novo Dia!


Há um novo dia!

Eu não posso duvidar,
haverá sim um novo dia!
Onde só meu Deus reinará,
e o que hoje é dor,
esse mundo mal
irá findar.
Todo esse desamor,
todo pranto,
há de acabar.
E nesse novo dia,
O sol sempre brilhará.
Iremos sim levar a vida numa calmaria.
O mar não mais irá se revoltar.
Estaremos boiando em ondas finas.
O perfume de plantas no ar
Suavizando esse novo dia!
E os sons, todos esses que ecoam no ar,
Formaram uma linda orquestra em sintonia.
E nós,  juntos num coral,
Cantaremos a alegria!
A cada dia, as pessoas ao voltarem para casa
Depois de cumprir sua jornada.
Encontraram braços livres para abraçar.
Um colinho para aconchegar.
Cada uma mais ouvinte;
Prontos a dividir como foi o seu dia;
Compartilhando planos e realizações;
Ah! Haverá sim um novo dia!
Onde haja amigos verdadeiros;
Almas solidárias;
Todos apaixonados pela vida!
O sorriso ser a expressão maior que contagia.
E quando a noite vier,
Adormecer ao som de um violino
a soar um doce hino.
Enquanto esse dia não vem,
Eu deixo em Teu altar oh Pai Querido
minha poesia.
Fica em forma de oração ou melodia.
A pedir-te, Pai sustenta-nos até que chegue esse novo dia.
Ah um novo dia!

sábado, 3 de setembro de 2011

ROBERTA CAROLINA


R essoa linda voz em tom maior
O teu cantar afinam sentimentos
B elos sonhos canta em versos
E ntoando corações em envolvimentos
R evela todo amor que tem
T e vi menina a cantar precocemente
A lcançar bem funto ao coração da gente.

C ante sempre, cada vez mais linda menina
A tua voz é forte, grave e facina
R ouxinol contigo faz sintonia fina
O futuro breve que se aproxima
Lindo sucesso assinando a tua sina
I lujminando-a Deus te conduz
N o caminho a eterna luz e no...
A lto céus ainda irá cantar para Jesus


                                    


Katherine


"K almaria" e euforia
  A gita a minha musa preferida!
  T ens o brilho dos sonhos a encantar
  H oje: menina/mulher charmosa
  E m tantos momentos glamorosa/formosa
  R evela no olhar a alegria que traz
  I rradiante beleza, sempre querida
  N a mulher que já se faz!
  E´s Kath, alma gêmea da tia!
  

Sonho

-->

Sonho
    (brincando com títulos de livros)

Após Um dia Daqueles, trabalho árduo, cansei... adormeci.
Uma cigana leu o meu destino, disse ver em minhas mãos, linhas que levaria a Lugares altos. Mas não era exatamente o que eu almejei. (Não gostei)
Na mesma hora, um corte em minha mão tracei, tentando formar uma nova linha.
Queria eu mesma traçar o meu destino ou apenas interromper este talvez.
Ao sangrar, logo me perguntei. E Se houver amanhã? (Chorei)
Dor, pânico, preocupação? (não sei)
Vi O outro lado da meia noite, nele mergulhei.
Vieram recordações que desabei.
Ao lembrar que tantas vezes eu fugi às regras,
Como no grito da liberdade que dei: Chega de Regras!
Nem tive tempo de dar A outra face, no embalo da bofetada que eu levei.
Eu corria... corria... saltava como se tivesse A Pata da Gazela... de repente voava...
...entre gaivotas, não sei se era Fernão Capelo Gaivotas, 
sei que queria o lugar maior no alto céu. (desejei).
Sem medo de cair, nesse momento acreditava que seria Uma queda para o Alto, somente  para o alto. (pensei)
Em outro momento, parei.
Lembrei do meu tesouro, guardado, escondido, junto ao Meu pé de laranja lima, (procurei)
Em meio a tantas folhas que caía, (encontrei).
Meu baú com tantos livros, entre eles: (Deus Negro, O reverso da Medalha, Emeline, Clarice, O Crime do Padre Amaro... eram tantos! Livros que por tantas vezes me emocionei. (encantei)
Em meio a este devaneio louco, as recordações que não eram poucas, Um gato entre os pombos.
(acordei)!

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Quantas vezes

Quantas vezes;
Eu já quis parar o tempo,
 fazer mil coisas em um só momento.
Foram tantos desapontamentos.
Desejei mudar o mundo,
Lutei contra “o convencional”,
Já acreditei ter as forças em minhas mãos,
Desejei resolver inúmeras outras
Algumas: vitórias e derrotas.
Senti muito das dores alheias porque não as via como “do outro.”
(Chorei muitas vezes assim.)
Muitas vezes segurei um peso maior que minhas forças,
e não caí.
E quantas outras vezes derrubei uma carga leve;
Por senti-la muito pesada para mim.
Revidei a críticas,
Ecoei a tantos gritos.
Refleti como um espelho a uma cara feia.
Ri de situações que pareciam trágicas,
Acalmei-me assim.
Calei quando quis mil coisas falar,
e recuei para não revidar.
Já parti pra cima também por não conseguir controlar.
Esperei muito do outro
E quando não estava para mim,
sofri muito assim.
Acreditei muito nas pessoas,
Decepcionei tantas vezes,
Mas não aprendi...
...continuo a acreditar!
Doei “tesouros “ de grande significado para mim e não sofri.
E em certos momentos da vida;
Chorei pelo pouco que perdi.
Quantas vezes falei quando o sensato era calar.
E noutras, calei para não magoar,
nessa hora, magoei por não falar.
Fiz-me surda para não ouvir;
Apaguei o que eu não quis ler;
Quem sabe para não sofrer ou não responder.
(Nem sei se valeu a pena.)
Ah! Quantas vezes eu disse NÃO;
Quando o que eu mais queria era dizer SIM!
Hoje, pensando tudo isso,
Vejo que mudei em diversas coisas,
(se melhor, nem sei).
Ainda berro sim, mais alto que gostaria,
Mas, ponho-me a calar por mais vezes.
Não por covardia;
Mas, por sentir que não me valeria.
Procuro olhar as pessoas, o mundo, assim:
Suas vidas, seus problemas...
(Penso, nem tudo está para mim).
Não espero nada do outro,
Por isso sou mais feliz!
E quando dele vem um sorriso,
Um olhar talvez...
(Penso: é só isso que eu preciso!)
Tenho deixado que as coisas sejam,
O controle nem sempre está em minhas mãos.
Creio em Deus, acredito que Ele está no controle de todas as coisas...
...descanso assim.
Estou escrevendo tudo isso, não sei se para você ou só para mim.
Quem sabe hoje, você também se sinta assim!

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Vivo a Procura...



Vivo a procura
Como em todos os dias
De um homem que seja minha alegria!
Que seja paz,
Que seja harmonia
Que complete a vida com poesia.

Vivo nessa procura
Como já faz parte dos meus dias
Desse amor que substitua essa melancolia
Que em meio ao perfume das flores
De mil e uma cores
Traga a minha vida novos valores!

Quem sabe nessa procura
Eu só quero que ele seja assim...
Amigo,companheiro, disponível e...

...Todinho pra mim!

"Elogio"



Oi flor de Bucha!
Fiquei desconcertada...

Ele disse: É linda!
      Só sosseguei com elogio depois de confirmar... rs, linda mesmo a flor de bucha!